[ View Guestbook ] [ Sign Guestbook ]

sábado, 1 de dezembro de 2007

Sweeney Todd - último mês


"Sweeney Todd", o espectáculo que me põe em cena quase todas as noites a cortar gargantas, entra hoje no seu último mês de exibição.

Vamos estar até 30 de Dezembro, no Teatro Aberto, de 4ª a Sáb às 21h30 e aos Domingos às 16h.

Gostava muito de vos ver por lá, porque é um espectáculo do qual não me vou esquecer, com certeza...


Entretanto, deixo-vos uma amostra do que tem sido dito na imprensa, e também na blogosfera:


Tudo isto é eficazmente orquestrado pelo maestro João Paulo Santos e pelo encenador João Lourenço, e protagonizado pelo polivalente actor Mário Redondo, numa interpretação seguríssima.
(Público)


No protagonista está Mário Redondo, actor com a força e a dimensão necessárias (literalmente) para aguentar o papel principal.
(Expresso)



...e na blogosfera...


Um Sweeney Todd impressionante, com uma presença pujante e intimidadora. Tudo isto dourado com a já famigerada qualidade de trabalho do veterano João Lourenço, fazem deste um espectáculo a não perder em Lisboa.
(Art All Over Again)


A dupla de actores principais, muito bem acompanhada pelos restantes, é de tal forma fantástica que após uns primeiros 15 minutos menos brilhantes, faz com que as 2h e 45m de espectáculo se revelem bastante gratificantes.
(Clube ! (chk))



Brilhante! Fantástico! Genial! As interpretações são inesquecíveis.
Desde Sweeney Todd (Mário Redondo), passando por Toby (Henrique Feist) e Mr. Beadle (Carlos Guilherme), todos são perfeitos!
No final, a história tem um desfecho (que para mim foi!) inesperado. Há muito tempo que não via uma peça de queixo caído como vi esta. Recomendo vivamente!
(E Que Tal...)


Reconciliei-me com o desempenho de Mário Redondo que encontrou em Sweeney Todd uma personagem onde mostra a sua força como actor.
(Laranja Com Canela)


Tenho de salientar a prestação de Mário Redondo num Sweeney Todd imenso (em altura e talento), com uma voz forte e colocada, num misto de terror e abandono e de Ana Ester Neves numa Sra. Lovett muito mas muito perversa.
(Perdido no Éter)


Se falamos de actores há que destacar Mário Redondo, impecável escolha para Sweeney Todd, sempre tenso, preciso no nervo, e para Ana Ester Neves, uma Senhora Lovett hilariante.
Sweeney Todd, O Terrível Barbeiro de Fleet Street é um grande espectáculo, um belo musical em qualquer parte do mundo, está em cena até ao fim do ano e merece uma visita muito atenta.
(Sopros)


Mas é-nos dado a ver, aqui, um singular actor-cantor. Mário Redondo compõe um Sweeney Tood intocável. Uma composição que impressiona pelo talento, trabalho e reflexão - que quem está por dentro deste universo tem, obrigatoriamente, de reconhecer.
(Uma Cigarra na Paisagem)


Assim é a história do terrível barbeiro de Fleet Street e da sua vingança, numa Londres metálica, encenada a negro e fumo e morte, encaixada num palco recheado de boas soluções técnicas e cantada a vozes de várias cores. Como as de Mário Redondo e Ana Ester, que enchem a sala entre uma empada e uma navalhada.
(Breviário das Coisas Breves)

8 Comments:

At 23 de dezembro de 2007 às 19:20, Anonymous Antígona said...

Boas! Não sei se deva elogiar o trabalho do Sr. Todd, afinal já paguei para o ver morrer três vezes! A sério, achei fantástico, e se na primeira vez que lá estive foi porque o Tim Burton ia fazer (ou já fez) um filme com esta história, as outras duas foram porque me viciei na vossa interpretação (sim, não foi só o fascínio por palcos rotativos)! E então pergunto: irão editar um cd?
Cumps

 
At 26 de dezembro de 2007 às 00:48, Blogger Mário Redondo said...

Obrigado!

Quanto ao CD... não está totalmente fora de hipótese, mas ainda não há nada "oficial".

 
At 28 de dezembro de 2007 às 12:09, Anonymous Giovanna said...

Parabéns! Cada vez que aparecia em cena eu ficava agarrada à cadeira em expectativa, porque era quase certo que ia assistir a mais um daqueles momentos que nos ficam na memória. O meu único problema foi estar sempre a ouvir as vozes da bonecada da minha infância a cantar alegremente sobre crimes, mortes e vinganças, mas a meio da 1ª parte lá me consegui desligar disso; e quando acabou só apetecia perguntar «Já??» enquanto me doíam as mãos dos aplausos.
E agora que sei que o Mário entrou n' «O Nariz», fiquei mesmo com pena de não ter ido ver a ópera... Prometo que fico mais atenta!
Mais uma vez, parabéns, e espero voltar a ver um elenco tão bom em palco.
Esse cd que vá para a frente!

 
At 6 de janeiro de 2008 às 01:06, Blogger Mainevent said...

Fabuloso! Simplesmente fabuloso! E olha, se quiseres ler mais, vai a http://mainevent-espectaculos.blogspot.com/2008/01/sweeney-todd-no-teatro-aberto.html

Beijokas e muitos sucesso, amigo!

Sofia de Castro.

 
At 11 de janeiro de 2008 às 09:22, Anonymous Leonor said...

Ola 'pai'
Pois, aqui estou eu, a sua 'filhinha'.. Nao ia perder outra fantastica exibicao do meu paizinho.
Adorei o espectaculo!
Parabens!!
Muitos beijinhos da Leonor do Pollicino :D

 
At 9 de fevereiro de 2008 às 21:11, Anonymous Catarina Rosa said...

Ora bem, por onde começar... Já sei! Sou a Catarina, tenho 14 anos. Andei numa escola de música e a minha mãe levou-me a ver o Sweeney Todd, achou que seria uma boa experiência. Já vi muitos musicais em palco, também já cantei no CCB e dancei em 3 palcos. Mas o Sweeney Todd é, de longe, o MELHOR MUSICAL ALGUMA VEZ REPRESENTADO EM PORTUGAL! Tem uma história fantástica, ao género de lenda urbana que toda a gente teme mas adora, com montes de sangue e mortes (que, por acaso, estavam excelentemente feitos, e em palco :D), e uma música ainda melhor que acompanha o enredo total e perfeitamente. Incluindo um coro assustador com uma excelente caracterização. E o melhor de tudo é o Sweeney Todd, o homem violento à procura de vingança, mas por qual todos nos apaixonamos, devido à sua representação, Mário Redondo. Escrevo este comentário com grande admiração, e acrescento que É MELHOR SWEENEY TODD QUE O JOHNNY DEPP, verdade! E é ele que está nomeado para os Óscares... E como eu e a minha minha mãe somos grandes fãs do Johnny Depp (como actor, fique claro!) espero que leve este comentário a sério. POde também dizer a todos os actores que a vossa peça de teatro é melhor que a peça original inglesa E o filme. Esperemos que daqui a uns meses/anos façam um DVD... Os maiores parabéns pelo seu desmpenho, tanto no Sweeney Todd como nas Evil Machines! Abraços, Catarina

 
At 19 de fevereiro de 2008 às 00:34, Anonymous João Nunes said...

Boas, queria deixar aqui os meus aplausos(outra vez:P) e referir que adorei mesmo o espectaculo no teatro aberto:D Acabei de ver o sweeney todd do grande sr Tim burton, mas nem se compara ao que vi no teatro aberto:P E queria reforçar a ideia de gravarem um cd ou mesmo um dvd, porque isso seria mesmo brutal:D eu pensei em voltar a ver o musical mais umas vezes, mas os preços nao são muito acessiveis a minha carteira:P Anyway, um abraço ao Mário Redondo que esteve super bem na faceta do grande assassino de fleet street , ao Henrique Feist (e so me apetecia gritar "songoku"!!! na parte dos aplausos:P) e ao resto da ekipa;) hasta

 
At 20 de fevereiro de 2008 às 23:37, Blogger Fantasma da Ópera said...

Antes de mais os meus parabéns! É bom ver que alguém com tanta qualidade também já "penou" pelos corredores da F.D.L tal como eu agora peno. Deve ser por isso que tive especial prazer em ver um juiz perder o pescoço;)
Vi o Sweeney Todd 2 vezes e só tive pena de ter demorado tanto tempo a ir ver porque quando vi o quão bom era já estava para sair de cena.

Comprei o libretto ante-ontem e sempre deu para reviver a peça. É fantastico como ainda me consigo lembrar de todos os detalhes!

Os meus sinceros parabéns!
E já agora...o CD era muito bem vindo! É uma pena não ficar uma gravação audio para a posterioridade!

 

Enviar um comentário

<< Home

[ View Guestbook ] [ Sign Guestbook ]